quarta-feira, 9 de abril de 2008

Formigas: São insetos sociais






achei este texto sobre formigas e posso lembrar que elas vivem em sociedades no sentido de relação ecológica, mas quando se usa o nome "colônia" em textos sobre elas ou em filmes tem outra postura... não é colônia (tipo de relação harmônica) ... é mais como se falasse Colônia de pescadores ... um adjetivo para o grupo.

Também de gostaria de indicar o blog Tudo sobre formigas para você que quer se aprofundar sobre o assunto formigas.

Veja um vídeo de uma batalha entre formigas vermelhas e pretas que achei no Tudo sobre formigas:



Pela Wikepédia temos:

Formigas

Classificação científica

Reino: Animalia

Filo: Arthropoda

Classe: Insecta

Superordem: Endopterygota

Ordem: Hymenoptera

As formigas, o grupo mais popular dentre os insetos, são interessantes porque formam níveis avançados de sociedade, ou seja, a eusocialidade. Todas as formigas, algumas vespas e abelhas, são consideradas como insetos eusociais, fazendo parte da ordem Himenóptera. As formigas estão incluídas em uma única família (Formicidae), sendo que existiam 12.351 espécies descritas em meados de março de 2008, distribuídas por todas as regiões do planeta, exceto nas regiões polares. De acordo com Ted R. Schultz, em "In search of ant ancestors", as formigas são indiscutivelmente o gênero animal de maior sucesso na história da terrestre constituindo 15 à 20% de toda a biomassa terrestre.

Acredita-se que o surgimento das formigas na Terra deu-se durante o período Cretáceo (há mais de 100 milhões de anos) e pensa-se que elas evoluíram a partir de vespas que tinham aparecido durante o período Jurássico.

Por vezes, confundem-se as térmitas (cupins) com as formigas, mas pertencem a grupos distintos.

As formigas distinguem-se dos outros insetos – mas algumas destas características são comuns a alguns tipos de vespas - por apresentarem:

* Uma casta de obreiras sem asas;

* As fêmeas são prognatas (peças bucais no acron);

* Presença de um ‘’saco infrabucal’’ entre o lábio e a hipofaringe;

* Antenas articuladas, com o artículo distal alongado (exceto nas subfamílias Armaniinae e Sphecomyrminae);

* Glândula metapleural nas fêmeas, abrindo na base das patas posteriores;

* Segundo segmento abdominal formando um “pecíolo” (pouco diferenciado nas Armaniinae);

* As asas anteriores não apresentam nervuras ramificadas;

* A rainha perde as asas depois da cópula, que é realizada em vôos de milhares de indivíduos.

O estudo das formigas denomina-se mirmecologia.

Organização social das formigas

Embora nem todas as espécies de formigas construam formigueiros, muitas fazem autênticas obras de engenharia, normalmente subterrâneas, com um complexo sistema de túneis e câmaras com funções especiais – para o armazenamento de alimentos, para a rainha, o “berçário”, onde são tratadas as larvas, etc.

As sociedades das formigas são organizadas por divisão de tarefas e a cada tipo de tarefa corresponde um tipo de indivíduos diferente, muitas vezes chamados castas.

A função da reprodução é realizada pela rainha e pelos machos. A rainha vive dentro do formigueiro, é maior que as restantes das formigas, perdem as asas depois de fecundada e durante toda a sua vida põe ovos. Os machos aparecem apenas quando é necessário fecundar uma nova rainha, o que acontece durante um vôo em que participam milhares de fêmeas e machos alados; depois da fecundação, os machos não são autorizados a entrar no formigueiro e geralmente morrem rapidamente.

As restantes funções – procura de alimentos, construção e manutenção do formigueiro e sua defesa – são realizadas por fêmeas estéreis, as obreiras. Em certas espécies, as obreiras que realizam as diferentes funções estão também divididas em castas. Normalmente, as que se ocupam da defesa – ou para o ataque, uma vez que algumas espécies são predadoras de animais que podem ser maiores que elas - têm as peças bucais extremamente grandes e fortes.

Existem também outras 2 funções: a de operário e a de soldado. As operárias tomam conta dos bebês-formigas, fazem a limpeza da casa e vão atrás de comida. Já as formigas soldados guardam a entrada do formigueiro sem descanso.

Desenvolvimento

As pequenas formigas desenvolvem-se por metamorfoses completas, passando por um estado larvar equivalente à lagarta dos outros insetos e pelo estado de pupa. A larva não tem pernas e é alimentada pelas obreiras por um processo chamado trofalaxia, no qual a obreira regurgita alimentos por ela ingeridos e digeridos. Os adultos também distribuem alimento entre si por este processo. As larvas e pupas precisam de temperatura constante para se desenvolver e, por isso, são transferidas para câmaras diferentes, de acordo com o seu estágio de desenvolvimento.

A diferenciação em castas é determinada pelo tipo de alimento que nos recebem diferentes estados larvares e as mudanças morfológicas que caracterizam cada casta aparecem abruptamente.

Comportamento das formigas

Comunicação

As formigas se comunicam por uma química chamada feromas, esses sinais de mensagens são mais desenvolvidos na espécie das formigas que em outros grupos de himenópteros. Como as formigas passam a vida em contato com o solo, elas deixam uma trilha de feromônio que pode ser seguida por outras formigas. Quando uma obreira encontra comida ela deixa um rastro no caminho de volta para a colônia, e esse é seguido por outras formigas que reforçam o rastro quando elas voltam à colônia. Quando a comida acaba, as trilhas não são remarcadas pelas formigas que voltam e o cheiro se dissipa. Esse comportamento ajuda as formigas a se adaptarem às mudanças em seu meio. Quando um caminho estabelecido para uma fonte de comida é bloqueado por um novo obstáculo, as obreiras o deixam para explorar novas rotas. Se bem sucedida, a formiga retorna e marca um novo rastro para a rota mais curta. Trilhas bem sucedidas, são seguidas por mais formigas, e cada uma o reforça com mais feromônio (as formigas seguirão a rota mais fortemente marcada). A casa é sempre localizada por pontos de referência deixados na área e pela posição do sol; os olhos compostos das formigas têm células especializadas que detectam luz polarizada, usados para determinar direção. As formigas usam feromônio para outros propósitos também. Uma formiga esmagada emitirá um alarme de feromônio, o qual em alta concentração leva as formigas mais próximas a um furor de ataque; e em baixa concentração, as atrai. Para confundir inimigos, várias espécies de formigas também usam feromônios, que os fazem lutar entre eles mesmos

Como outros insetos, as formigas sentem o cheiro com longas e finas antenas. As antenas têm como cotovelos ligados ao primeiro segmento alongado; e visto que vêm em pares-como visão binocular ou equipamento de som estereofônico elas obtêm informações sobre direção e intensidade. Quando duas formigas se encontram, tocam as antenas e as feromonas que estiverem presentes fornecem informação sobre o estado de alimentação de cada uma, o que pode levar à trofalaxia, ou seja, uma delas regurgita a comida para a outra. A rainha produz uma feromona especial que indica às obreiras quando devem começar a criar novas rainhas.

As formigas atacam e defendem-se mordendo ou picando, por vezes infectando compostos químicos no animal atacado, em especial, o ácido fórmico.

Tipos de formigas

Há uma grande diversidade de formigas e dos seus comportamentos:

  • As formigas-correição, da América do Sul e de África, não constroem formigueiros permanentes e alternam entre uma vida nômade e a organização de abrigos temporários formados pelos corpos das obreiras. As sociedades reproduzem-se, quer por vôos nupciais, quer por divisão do grupo, em que um grupo de obreiras se separa e cava um ninho para criar novas rainhas. Os membros de cada grupo distinguem-se pelo olfato e normalmente atacam outros intrusos.
  • Algumas formigas atacam outros formigueiros, roubam as pupas e criam-nas como obreiras – como escravos! Algumas espécies, como a formiga da Amazônia (por exemplo, Polyergus rufescens), tornaram-se totalmente dependentes destes escravos, ao ponto de, sem eles, serem incapazes de se alimentar.
  • As “formigas-pote-de-mel” criam obreiras especiais, cuja única função é armazenar comida nos seus próprios corpos para o resto do grupo, ficando geralmente imóveis, com grandes abdomens cheios de comida. Em locais secos, mesmo desertos, em África, América do Norte e Austrália, estas formigas são consideradas um “petisco” delicioso.
  • As “formigas-tecelãs" (Oecophylla) constroem ninhos em árvores cosendo folhas, que juntam formando pontes de obreiras e depois as cosendo com seda que obtêm de larvas criadas para esse efeito.
  • As “formigas-cortadoras” dos gêneros Atta e Acromyrmex pertencem à tribo Attini, e vivem exclusivamente nas regiões neotropical e sul dos Estados Unidos. Ao contrário do que se pensam as formigas não se alimentam ingerindo as folhas que cortam (mas podem ingerir exsudatos açucarados destas folhas). Alimentam-se do fungo que elas cultivam dentro do formigueiro. Elas possuem várias castas, com funções específicas na manutenção da colônia (operárias, soldados, operárias do jardim) . Umas cortam e/ou carregam folhas, flores e ramos, outras cuidam da limpeza e da defesa da colônia, e outras ainda do cultivo do fungo e do cuidado com os filhotes, chamados larvas. As formigas da casta das "jardineiras", cortam as folhas e, ao fazê-lo, aproveitam para se alimentarem da seiva exudada. Estas folhas são carreadas para o interior do formigueiro, onde formigas de outra casta se encarregarão de triturá-las para o cultivo de um fungo de cor branca, base da sua alimentação. O fungo supre as necessidades alimentares de todas as formigas que vivem exclusivamente dentro do formigueiro, como as larvas, e da rainha. Esta, por sua vez, se encarrega de colocar os ovos durante toda a vida e, através de seus descendentes, perpetua a colônia. São conhecidas 14 espécies de formigas cortadeiras do gênero Atta. Apesar de conhecermos bastante as formigas do gênero Atta e Acromyrmex, há outros 11 gêneros de cortadeiras na tribo Attini, totalizando 13 gêneros de formigas cortadeiras. São exclusivas da América do Sul!

Ver também

  1. Formiga-argentina
  2. Formiga-cabaça
  3. Formiga-caiapó
  4. Formiga-de-ferrão
  5. Formiga-de-novato
  6. Formiga-feiticeira
  7. Agúdia

Relações das formigas com outros organismos

Algumas espécies de afídeos segregam um líquido doce que normalmente é desperdiçado, mas as formigas recolhem-no e, ao mesmo tempo, protegem os afídeos de predadores e chegam a transportá-los para locais com melhor comida.

Uma relação parecida existe com as lagartas mirmecófilas (“amigas das formigas”) que são criadas por algumas formigas. Estas as levam a “pastar” durante o dia e recolhem-nas ao formigueiro à noite. As lagartas têm uma glândula que segrega igualmente um líquido doce que as formigas “mungem”, massageando o local onde está a saída da glândula.

Ao contrário, existem lagartas mirmecófagas (que comem formigas): estas lagartas segregam uma feromona que faz as formigas pensarem que a lagarta é uma das suas larvas, levam-nas para o formigueiro, onde as lagartas se alimentam das larvas das formigas.

Humanos e formigas


Um tipo de formiga doméstica que costuma formar seu ninho em eletrodomésticos como vídeo cassete ou computador por causa da temperatura, podendo muitas vezes danificá-los. Elas costumam habitar partes ocas na parede da casa.

As formigas são úteis porque podem ajudar a exterminar outros insetos daninhos e a aerificar o solo. Por outro lado, podem tornar-se uma praga quando invadem as casas, jardins e campos de cultivo. As “formigas-carpinteiras” destroem a madeira furando-a para fazer os seus ninhos.

Algumas espécies, chamadas “formigas-assassinas”, têm a tendência de atacar animais muito maiores que elas, quer para se alimentarem, quer para se defenderem. É raro atacarem o homem, mas podem dar picadas muito dolorosas e, se forem em grandes números, podem causar dano permanente ou matar por alergia grave.

As formigas encontram-se em muitas fábulas e histórias infantis da cultura ocidental, representando o trabalho e esforço cooperativo, assim como agressividade e espírito de vingança. Em partes de África, as formigas são consideradas mensageiras dos deuses. Algumas religiões dos índios norte-americanos, como os Hopi, consideram as formigas como os primeiros habitantes do mundo. Outras usam picadas de formigas em cerimônias de iniciação, como teste de resistência.

Tempo de Vida

Desde a etapa em que são ovos, até se tornarem adultas, as formigas demoram entre 6 a 10 semanas. Algumas trabalhadoras podem viver até 7 anos, enquanto que as rainhas conseguem viver mais de 15 anos.

Fonte: Tudo Sobre Formigas

Wikipédia


Outra fonte:


ants by ~buleria on deviantART

Formigas

As formigas são agentes importantes na decomposição de substâncias orgânicas, acelerando este processo benéfico à reciclagem de nutrientes do solo.

Diversas espécies são predadoras muito úteis a agricultura, utilizando como fonte de alimento as pragas agrícolas.

Certas espécies podem afetar negativamente o homem, infestando casas e apartamentos, causando danos às estruturas, por causa de suas atividades na construção de ninhos. Elas alteram a aparência de gramados, campos de futebol e parques com suas numerosas colônias, alimentam-se de sementes germinadas ou não e desfolham plantas.

São um perigo à saúde pública quando ocorrem em hospitais, entrando em contato com material infectado e posteriormente com pacientes, alimentos, medicamentos, aparelhos, utensílios, salas de UTI, disseminando os microorganismos patogênicos.

Biologia das Formigas

Embora não sejam parentes próximos, as formigas e os cupins são ambos animais sociais. Isso significa que há uma divisão de trabalho entre os diferentes tipos de indivíduos que compõem a colônia. Outro bom exemplo de animais sociais são as abelhas.

As colônias de formigas incluem um grande numero de "obreiras", uma ou duas fêmeas reprodutoras ("rainhas"), muitos ovos, muitas larvas e muitas pupas. Algumas espécies de formigas preferem fazer seus ninhos no solo, outras optam pelo oco das arvores, muros de cercas, troncos caídos ou então dentro das casas. As formigas não são capazes de digerir a celulose e portanto, não comem madeira como os cupins; na verdade, as formigas alimentam-se de uma grande variedade de alimentos num complexo sistema de passagens entre os membros da colônia. Os adultos não conseguem ingerir alimentos sólidos, só líquidos sugados do material alimentar, embora carreguem para o formigueiro até grandes pedaços de alimento, com ou sem a ajuda de outras obreiras. Na maioria das espécies de formigas, o alimento recolhido serve apenas de substrato para o crescimento de um mofo (fungo), especial, o qual, após colhido, representa o verdadeiro alimento para a formiga. As larvas iniciais também só ingerem alimentos líquidos; em algumas espécies, as últimas fases larvais podem alimentar-se de partículas sólidas.

As obreiras forrageiras, aquelas encarregadas de buscar o alimento fora do formigueiro, trazem também a água para o resto da colônia e passam-na para as obreiras encarregadas do serviço interno, num processo boca-a-boca chamado "trofalaxe". Essas obreiras internas passam então o alimento e a água para as larvas e à rainha. Em alguns casos, as obreiras estimulam as larvas capazes de ingerir alimentos sólidos para que regurgitem alimentos já liquefeitos e este e então utilizado pela colônia.

Como se percebe, o sistema de alimentação de uma colônia de formigas é bastante complexo e interativo, visivelmente direcionado para as larvas e para as reprodutoras, razão do sucesso das iscas formicidas e dos inseticidas microencapsulados. Açucares, néctar de flores, secreções de pulgões, insetos mortos, minhocas, fungos, etc., compõem o substrato alimentar das formigas que se localizam a céu aberto. No interior das residências, optam pela busca de grãos de açúcar, migalhas de pão e de bolachas, insetos mortos, pedaços de frutas, etc.

Os formigueiros tem distintamente três classes de adultos (castas). As obreiras são fêmeas estéreis e podem variar de tamanho e função; são encarregadas de buscar água e alimentos, cuidam da manutenção do formigueiro, fazem reparos, constroem, defendem cuidam das larvas, dos ovos, e das pupas, manejam a rainha. As rainhas geralmente são as maiores formigas de todas e são encarregadas exclusivamente da reprodução, ou seja, fabricam ovos; por isso são alimentadas na boca, limpadas freqüentemente, mudadas de posição e outras "mordomias" mais. Os machos não fazem nada; sua única função e a de inseminar a rainha durante o vôo nupcial e morrem alguns dias depois.

Ao estabelecerem colônias em todos os tipos de solo, as formigas planejam a vida de uma população jamais alcançada em número de indivíduos, por qualquer outro tipo de inseto na Terra. E o que é mais impressionante, decorrem do fato das formigas serem a espécie de insetos com maior longevidade.

Excetuando-se os machos, que morrem após se acasalarem. Formigas-operárias podem permanecer em seu trabalho por mais de 7 anos. Algumas formigas rainhas excedem 15 anos de idade. Dentre estas, encontram-se indivíduos que ovopositam dezenas de milhares de ovos durante um período de vida. Normalmente levam-se alguns anos até se estabelecerem. Mas uma vez consolidados, podem sobreviver por 30, 40 anos ou mais. Basta substituir a formiga-Rainha original por uma nova, que o formigueiro se renova. Mesmo quando seu espaço é danificado, formigas adultas levam ovos, larvas e pupas para áreas mais seguras dentro da colônia e tomam a viver sem distúrbios.

Como tudo começa:

Um formigueiro se inicia quando uma formiga-Rainha recentemente fertilizada abre um buraco no solo, fecha-se lá dentro e permanece ali como prisioneira voluntária. Os ovos crescem em seu corpo por semanas, até meses. Quando os primeiros ovos são colocados e emergem as larvas, a Rainha alimenta-as com sua saliva até alcançarem o estágio de pupas. As primeiras formigas operárias nascem 6 a 8 semanas, após a ovoposição. Sendo tão pobremente alimentadas, são anormalmente pequenas. Porém crescem em importância para o formigueiro por que são as primeiras a saírem para buscar alimento para si, para as que estão nascendo e para a Rainha. Uma importante tarefa, sem dúvida, já que a Rainha permanece ovopositando por toda sua vida.

Até onde podem ir:

Deixe-as livres para trabalhar, e algumas espécies podem construir formigueiros para 300.000 indivíduos ou mais. Isto não é um fato raro pois estas colônias certamente terão várias Rainhas, e muito bem escondidas para realizar a função de procriar seus exércitos. Dentre as espécies, várias podem viver dentro de casas, aninhando-se entre paredes, em áreas do subsolo, nos sótãos ou por entre quaisquer fendas. São encontradas até em hospitais, onde foram constatados casos de infestação na rouparia e transmissão dos germes pelo contato aos pacientes. Muitas vezes seu tamanho é diminuto, mas não afeta sua capacidade reprodutiva.

As saúvas e formigas-de-fogo são altamente prejudiciais às pessoas, cães, galinhas e outros animais domésticos. A dor de sua picada, e seu ferrão ameaçador podem levar a mais de 3 dias de inchação e febre.

Formigas ou Impostoras?

Formigas-voadoras são freqüentemente confundidas com cupins. Se caracterizam por possuirem uma fina linha de cintura e três partes de seu corpo em segmentos separados. As asas dianteiras das formigas geralmente são maiores que as traseiras. Nenhuma destas características identifica-se com os cupins.

Morfologia das Formigas

O corpo de uma formiga é dividido em três partes: cabeça, tórax e abdome. A diferença morfológica mais importante que separa as formigas de outros insetos é a presença do pedicelo.

O aparelho bucal é provido de um par de mandíbulas grande e forte.A cabeça possui duas antenas, o sentido do tato é desenvolvido nelas.

Algumas espécies possuem um ferrão que é uma arma de defesa. A longevidade de algumas formigas, como é o caso das formigas faraó, seu tempo de vida varia de 40 a 120 dias, dependendo das condições do meio ambiente e climas favoráveis em que vivem.

FORMIGA LAVAPÉ (Solenopsis spp)


  • A rainha mede cerca de 8 mm, marrom claro com abdome escuro. O macho mede 7 mm de cor alaranjado. As operárias medem de 3,5 a 5 mm, com dois nódulos no pedicelo de coloração amarelo claro e marrom.
  • Podem picar através do ferrão inoculando veneno, podendo causar alergias.
  • Constroem seus ninhos de duas maneiras:
    Coleto - mais comum na base dos troncos de árvores.
    Enxame - são montes na superfície do solo e são feitos para a reprodução que se formam a cada ano de agosto a novembro.
  • Elas são onívoras e ocasionalmente podem infestar equipamentos eletrônicos e caixa de fiação elétrica podendo causar curto circuito.

FORMIGA FARAÓ (Monomorium spp)


  • As rainhas são em número variável e as operárias de tamanho pequeno e coloração amarelada; possuem dois nós no pedicelo com 12 segmentos.
  • Formam suas colônias em vãos de paredes, atrás de armários, forros, etc...
  • As novas colônias são formadas por fragmentação, necessitando apenas de uma fêmea fértil e algumas operárias.
  • Consomem alimentos variados, de preferência os ricos em gordura e substâncias doces.

FORMIGA CARPINTEIRA (Camponotus spp)


  • As rainhas atingem até 20 mm.
  • As operárias medem de 6 a 15 mm, com coloração que varia do amarelo até o marrom, dependendo da espécie.
  • Apresentam somente um nó no pedicelo.
  • Fazem seus ninhos em madeiras em decomposição, dentro de casas, em vigas de madeira, molduras de portas e no solo.
  • Alimentam-se de substâncias açucaradas, ovos, carnes e bolos.

FORMIGA ARGENTINA (Linepithema humile)


  • A rainha mede 6 mm de coloração escura com as pernas e antenas avermelhadas e aladas. O macho mede 3 mm, é alado e negro.
  • As operárias medem 2,5 mm com cabeça e tórax marrom claro e apenas um nó no pedicelo.
  • Há diversas rainhas, larvas, pupas e operárias e apenas alguns machos.
  • Fazem ninhos próximo a alimentos e água, como pia, vasos de plantas, ladrilhos, muros e cozinha.
  • Alimentam-se de substâncias açucaradas, carnes, insetos mortos, suco de frutas etc...

FORMIGA LOUCA (Paratrechina spp)


  • Possuem até 40 rainhas por colônia.
  • As operárias são pequenas, com pernas longas e finas, correm rapidamente e ficam rodeando
  • durante sua movimentação, daí o seu nome vulgar.
  • As operárias possuem um nó no pedicelo e presença de pelos.
  • As colônias são pequenas e mudam rapidamente de lugar.
  • Consomem carnes, doces, frutas, verduras, etc...

Fonte: http://www.agrodisa.com.br/formiga.htm

Curiosidades

1. Picadas/mordidas de formigas

As formigas são capazes de dar mordidas e picadas poderosas, como já vimos neste post elas são capazes de uma força imensa, vamos ver então do que são capazes as formigas em termos de agressividade contra humanos e não só.

Algumas espécies possuem um ferrão abdominal com veneno que pode provocar: anafilaxia, necrose e infecção secundária. Existe também a formiga tocandira que é capaz de atingir o comprimento de 3cm e possui uma picada extremamente dolorosa e que pode provocar edema e eritema no local.

Outra espécie nada amigável são as formigas-de-fogo e suas familiares (Myrmicinae), que são extremamente agressivas e atacam em grandes números. A sua mordida é extremamente dolorosa, juntando a isso o facto de que elas são capazes de ferroar 10-15 vezes cada uma, ferroando num local e ao redor dele, provocando assim uma pequena lesão dupla no centro de várias lesões pustulosas.

2. Sustentação de massa maior que seu corpo

Para conseguir levantar objetos maiores do que ela, a formiga elimina grande parte da força de gravidade.
Como a quantidade de energia absoluta da formiga é mais pequena do que a dos grãos de areia sobre ela, a energia da atmosfera, desvia-se em parte para a formiga aliviando assim o peso da formiga sobre a terra.




Nenhum comentário: